Clinica Odontológica Silvânia Rocha

Clinica Odontológica Silvânia Rocha
Clinica Odontológica Silvânia Rocha 3019-8911 3052-1880

Bem vindo, você é meu visitante número:

contador

Lomadee

Viaje pelo mundo com a ZARPO!

Patrocinando Em nossas Vidas

quarta-feira, 28 de março de 2012

O Mestre e o Guardião


Quem me mandou esse texto foi a Déa uma colega de trabalho gente boa mesmo.
E vale a pena não só a leitura mas  a reflexão e acima de tudo colocá-lo em prática.
Num mosteiro, havia o Grande Mestre e o Guardião. 
Certo dia, o Guardião morreu e foi preciso substituí-lo. 
O Grande Mestre, então, reuniu todos os irmãos para fazerem a nova indicação. Assumiria o posto, o monge que conseguisse resolver primeiro o problema a ser apresentado naquele momento.              
Então o Grande Mestre colocou um banquinho no centro da sala e, em cima, um vaso de porcelana, raríssimo, com uma belíssima rosa a enfeitá-lo. Disse apenas: aqui está o problema. Todos ficaram olhando a cena. O vaso  lindíssimo, de valor extraordinário, a flor maravilhosa no centro! O que representavam, o que fazer? Qual será o enigma?              Nesse momento, um dos discípulos sacou a espada, olhou o mestre, os  companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e destruiu tudo num só golpe.              
Tão logo o discípulo retornou ao seu lugar, o Grande mestre falou: Você é o novo guardião... Não importa que o problema seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado. Um problema é um problema, mesmo que seja uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que acabou.              
Se o amor acabou, por mais lindo que tenha sido, se não tem mais espaço,  precisa ser eliminado. A indecisão é a própria sustentação do problema. Quando decidimos o que está pendente, acabou-se o problema. É preciso pouco para que isto aconteça. Basta que se recorde do passado com um filtro mental, onde apenas são eliminadas as imagens boas. É como se a luz da memória escondesse, tão somente, o belo que existiu na relação e deixasse evidente que esse aspecto não existe mais. A verdade do passado, com suas angústias pelo futuro, a insegurança que foi vivida, a amargura, a  mentira, a indiferença e a exploração devem ser motivos suficientes para que a separação não doa tanto. Mas normalmente apaga-se o mal, como se nada disso houvesse existido. E se fica numa reserva inesgotável de aflição por ter  perdido o ser amado. 
Para se viver um grande amor, é importante perceber que problemas surgirão e que ficar dando desculpas não irá ajudar,  porque uma das piores maneiras de se tratar um problema é ficar arrumando justificativas da sua existência, ao invés de enfrentá-lo, assumi-lo e resolvê-lo, seguindo em frente em busca do novo, em busca da felicidade. 

E tô chegando com o Mamarazzi Week dessa semana..... não sabe o que é ?
Clica na foto abaixo e vai lá... você vai se amarrar..


Bjs e até a próxima.
Debby :)


Um comentário:

  1. Realmente faz sentido. Não custa tentar (ao menos tentar) colocar em prética.

    ResponderExcluir

Aqui você vai chorar comigo, vai rir comigo, vai recordar comigo, vai se emocionar.. vai viver comigo.
Mas quando sair comente..
E me faça feliz! Debby :) :)

Você vai gostar de ler

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Campanha de incentivo a Leitura

Campanha de incentivo a Leitura
Vamos ler mais e melhor!